Aplicativo do Google Earth agora exibe estrelas

Com os ‘avanços no desempenho de processamento de dispositivos móveis’, agora é possível rotacionar a imagem da Terra e ver estrelas ao fundo

Até pouco tempo, quando o usuário reduzia o zoom para obter uma visão completa do globo no aplicativo do Google Earth para Smartphones, ele se deparava com o planeta isolado, em meio a um fundo de tela completamente escuro.

Recentemente, isso mudou. Graças ao que o Google chama de “avanços no desempenho de processamento de dispositivos móveis”, agora é possível rotacionar a imagem da Terra e ver estrelas ao fundo.

Todas elas são catalogadas pelo Observatório Europeu do Sul, uma organização intergovernamental de pesquisa em astronomia formada por 14 países.

O aplicativo ainda não permite que o usuário clique nas estrelas ou em outros planetas ou se aproxime dos objetos, como acontece no Google Maps. Porém, a atualização pode abrir caminhos para essa possibilidade no futuro.

Matéria Original: https://olhardigital.com.br/ciencia-e-espaco/noticia/aplicativo-do-google-earth-agora-exibe-estrelas/96173

Fim do suporte do Windows 7 e do Office

Fim do suporte do Windows 7 e do Office

O suporte para Windows 7 terminará no dia 14 de janeiro de 2020, e a sua experiência poderá ser diferente, dependendo de sua versão do Office.

Observação: Se você for um profissional de TI responsável pela implantação do Office em uma empresa, aconselhamos ver Fim do suporte do Windows 7 e o Office 365_ ProPlus.

Selecione a guia Office 365 ou Outras Versões do Office abaixo para saber mais sobre o que você precisa fazer após o fim do suporte para o Windows 7.

Office 365

Windows 7 e Office 365

Office 365 é governado pela política de ciclo de vida moderna que exige que os clientes estejam sempre atualizados conforme a manutenção e os requisitos do sistema para o produto ou serviço, inclusive usando o Office 365 em um sistema operacional Windows com suporte no momento.

O uso de Office 365 em sistemas operacionais mais antigos e sem suporte pode causar problemas de desempenho e confiabilidade com o tempo. Como uma valiosa assinatura do Office 365, gostaríamos de fornecer uma experiência estável do Office 365. Portanto, se você estiver usando o Office 365 em um computador executando o Windows 7, recomendamos migrar para o Windows 10.

Mesmo não havendo mais suporte para o Windows 7 após janeiro de 2020, decidimos fornecer a você as atualizações de segurança para Office 365 pelos próximos três anos até janeiro de 2023. Daremos mais tempo para que a transição do uso do Office 365 em dispositivos com Windows 7 para um sistema operacional compatível, como o Windows 10. Mas, durante esse período, enquanto o dispositivo ainda estiver executando o Windows 7, o Office 365 não receberá novas atualizações de recursos.

Depois de migrar para um sistema operacional Windows compatível, todos Office 365 os recursos e atualizações de segurança serão retomados normalmente. Neste momento, você pode executar uma atualização do Office para verificar se você tem a versão mais recente.

Desinstalar o Windows 7 e outras versões do Office

As versões sem assinatura do Office, como o Office Home & Student ou o Office Home & Business, terão suporte completo com base na política de ciclo de vida fixo. No entanto, o Windows 7 não receberá mais atualizações de segurança, o que o deixará vulnerável a ameaças à segurança. Assim, se você estiver executando o Microsoft Office em um computador com o Windows 7, recomendamos migrar para o Windows 10.

A tabela a seguir mostra as versões com suporte do sistema operacional do Office e do Windows.

SO WindowsOffice 2010Office 2013Office 2016Office 2019
Windows 7Com suporteCom suporteCom suporteN/D
Windows 8.1Com suporteCom suporteCom suporteN/D
Windows 10Com suporteCom suporteCom suporteCom suporte

* Essas versões do Office continuarão a ter suporte enquanto estiverem dentro da política de ciclo de vida da Microsoft. No entanto, se o problema for resultado da combinação do Office e de um sistema operacional sem suporte (que será o Windows 7 após 14 de janeiro de 2020), o problema não terá suporte.

Como obter o Windows 10

Para manter a confiabilidade e a estabilidade do Office 365, recomendamos migrar para o Windows 10.

O Windows 10 está disponível para que a compra atualize um computador existente, no entanto, os PCs mudaram substancialmente porque o Windows 7 foi lançado há dez anos. Os computadores de hoje são mais rápidos, robustos e mais elegantes. Além disso, eles já vêm com o Windows 10 instalado!

Para obter ajuda sobre como encontrar um que atenda às suas necessidades e ao seu orçamento, entre em contato com um de nossos consultores e por que os computadores com o Windows 10?

Se você comprou um computador novo com Windows 10, mas precisa de ajuda para transferir seus arquivos, consulte migrar para um computador com Windows 10.

Dica: Se seu computador for gerenciado pelo seu trabalho ou escola e você recebeu uma notificação de atualização para o Windows 10, consulte o suporte técnico de TI ou o administrador de TI sobre como atualizar. Siga as recomendações da sua organização para obter instruções sobre como transferir seus arquivos e aplicativos.

Você recebeu a notificação “Seu PC com Windows 7 está sem suporte”

Você recebeu a notificação “Seu PC com Windows 7 está sem suporte”

Aplica-se a: Windows 7 Home Basic,Windows 7 Home Premium,Windows 7 Professional,Windows 7 Ultimate,Windows 8

Resumo


Quando o PC está executando uma versão do Windows que chegou ao fim do suporte, é importante que você tome medidas porque, sem correções de segurança contínuas, o PC ficará vulnerável a vírus e malware.  Caso você tenha o Windows 8 (não atualizado para o Windows 8.1), o Windows 7 Service Pack 1 (SP1) ou o Windows 7 (não atualizado com SP1), uma das seguintes notificações em tela inteira poderá ser exibida no computador (dependendo do sistema que você estiver usando):

Windows 7 Service Pack 1 (SP1)

Seu PC com Windows 7 está sem suporte

Seu PC do Windows 7 está fora de suporte.  A partir de 14 de janeiro de 2020, o suporte para o Windows 7 chegou ao fim.  Seu PC é mais vulnerável a vírus e malware, devido a não mais atualizações de segurança, atualizações de software ou suporte técnico.  A Microsoft recomenda fortemente o uso do Windows 10 em um novo PC para os mais recentes recursos de segurança e proteção contra software malicioso.

A notificação permanecerá na tela até que você interaja com uma das opções disponíveis.  Embora essas notificações tenham sido projetadas para fornecer informações importantes, você pode selecionar “Lembrar mais tarde” para descartar o lembrete por três dias.  Caso prefira não receber mais lembretes, você poderá selecionar a opção “Não lembrar novamente” para deixar de recebê-los.

Windows 7 (não atualizado com SP1)

Desculpe interromper, mas isto é importante.

Seu computador está executando uma versão desatualizada do Windows 7.

Seu computador está executando uma versão desatualizada do Windows 7.

Windows 8 (não atualizado para o Windows 8.1)

Desculpe interromper, mas isto é importante.

Seu computador está executando uma versão desatualizada do Windows 8.

Seu computador está executando uma versão desatualizada do Windows 8

Essas versões do Windows atingiram o fim do período de suporte e não recebem mais atualizações de segurança da Microsoft. Para manter o Windows tão seguro quanto possível, recomendamos que você mude para o Windows 10. 

O suporte ao Windows 7 terminou em 14 de janeiro de 2020

O suporte ao Windows 7 terminou em 14 de janeiro de 2020

E agora o que devo fazer???

Aplica-se a: Windows 7


A Microsoft comprometeu-se a oferecer 10 anos de suporte de produto ao Windows 7 quando ele foi lançado em 22 de outubro de 2009. Esse período de 10 anos terminou, e a Microsoft descontinuou o suporte ao Windows 7 para que possamos concentrar nossos investimentos no suporte a tecnologias mais recentes e ótimas experiências novas. O dia específico do fim do suporte ao Windows 7 foi 14 de janeiro de 2020. A assistência técnica e as atualizações de software do Windows Update que ajudam a proteger o computador não estão mais disponíveis para o produto. A Microsoft recomenda fortemente que você faça a migração para o Windows 10 o outros sistemas operacionais mais novos, para evitar uma situação em que seja necessário um serviço ou suporte que não está mais disponível.

Após 14 de janeiro de 2020, os computadores que executam o Windows 7 não receberão mais atualizações de segurança. Portanto, é importante que você faça upgrade para um sistema operacional moderno, como o Windows 10, que pode fornecer as últimas atualizações de segurança para ajudar a manter você e seus dados mais seguros. Evitando problemas com vírus e ameaças ainda existentes, até mesmo ataques conhecidos como Ransonware (vírus oferecido como serviço). Além disso, o serviço de atendimento ao cliente da Microsoft não estará mais disponível para fornecer suporte técnico ao Windows 7. Os serviços relacionados ao Windows 7 também serão descontinuados ao longo do tempo. Por exemplo, determinados jogos, como Gamão na Internet e Damas na Internet, bem como o Guia Eletrônico de Programação para o Windows Media Center, estão agendados para serem descontinuados em janeiro de 2020.

Para a maioria dos usuários do Windows 7, fazer a migração para um novo dispositivo com Windows 10 é o caminho recomendado futuramente. Os computadores de hoje são mais rápidos, leves, potentes e seguros, com uma média de preço muito menor do que a dos computadores comuns de oito anos atrás. 

Posso fazer upgrade do meu computador existente para o Windows 10?

Para aproveitar os últimos recursos de hardware, recomendamos fazer a transição para um novo computador com o Windows 10. Como alternativa, é possível fazer upgrade de computadores Windows 7 compatíveis com a compra e a instalação de uma versão completa do software. Para obter mais informações, consulte Upgrade para o Windows 10: perguntas frequentes.

Como posso fazer upgrade para o Windows 10 gratuitamente?

A oferta de upgrade gratuito para o Windows 10 encerrou dia 29 de julho de 2016. Para obter o Windows 10, você precisará comprar um novo dispositivo ou, se tiver um computador compatível, adquirir uma versão completa do software, para mais informações consulte um de nossos consultores, para fazer upgrade de seu dispositivo atual. Recomendamos que você não instale o Windows 10 em um dispositivo mais antigo, pois alguns dispositivos Windows 7 não são compatíveis com o Windows 10 ou podem ter a disponibilidade de recursos reduzida, justamente por não ser totalmente compatível com o Sistema operacional novo.

O que acontecerá se eu continuar usando o Windows 7?

Se você continuar usando o Windows 7 após o término do suporte, o computador ainda funcionará, mas estará mais vulnerável a vírus e riscos de segurança. O computador continuará sendo inicializado e executado, mas não receberá mais atualizações de software, incluindo atualizações de segurança, da Microsoft.

O Windows 7 ainda poderá ser ativado após 14 de janeiro de 2020?

O Windows 7 ainda poderá ser instalado e ativado após o fim do suporte. No entanto, ele estará mais vulnerável a riscos de segurança e vírus devido à falta de atualizações de segurança. Após 14 de janeiro de 2020, a Microsoft recomenda fortemente que você use o Windows 10 em vez do Windows 7.

O Internet Explorer ainda terá suporte no Windows 7 e o Google Chrome?

O suporte ao Internet Explorer em um dispositivo Windows 7 também foi descontinuado em 14 de janeiro de 2020. Como um componente do Windows, o Internet Explorer segue o ciclo de vida de suporte do sistema operacional Windows no qual ele está instalado. Consulte as Perguntas frequentes sobre o ciclo de vida – Internet Explorer para obter mais informações. O Suporte a outros navegadores como Google Chrome, Opera, Mozzila, etc, depende da equipe de desenvolvimento e do objetivo de cada um, por exemplo no Windows XP, após seu término o Google manteve um conjunto de desenvolvedores por mais 2 anos após o fim do S.O., Após isso só lançaram atualizações críticas e por fim não conseguiram mais oferecer suporte, pois o S.O. não oferece suporte as mais novas tecnologias o que faz com que para que ele execute aquele determinado código novo o mesmo exija mais tempo e processamento para poder interpretar as linguagens e necessidades gráficas novas.

Pela nossa experiencia, é possível que alguns navegadores ainda forneçam suporte por algum tempo.

O Microsoft Security Essentials continuará protegendo meu computador após o fim do suporte?

O Microsoft Security Essentials (MSE) continuará recebendo atualizações de assinatura depois de 14 de janeiro de 2020. No entanto, a plataforma MSE não será mais atualizada. Clique aqui para saber mais sobre o Microsoft Security Essentials.

E se eu estiver usando o Windows 7 Enterprise?

Se você estiver usando o Windows como parte de um ambiente de trabalho, recomendamos verificar primeiro com o departamento de TI ou consultar o suporte de implantação do Windows 10 (Microsoft) para saber mais.

E quanto ao Windows 7 Embedded?

O Windows para dispositivos incorporados, como caixas eletrônicos ou bombas de gasolina, tem datas de ciclo de vida que às vezes diferem das versões do Windows usadas em dispositivos de computador.

Posso mover meus programas existentes para um novo computador Windows 10?

Para obter a melhor experiência possível, é recomendável fazer uma nova instalação de seus programas e aplicativos em seu novo computador Windows 10. A Microsoft Store tem uma variedade de apps de terceiros que podem ser facilmente baixados e instalados. Em seu computador Windows 10, você pode abrir a Microsoft Store selecionando o ícone na barra de tarefas ou procurando por “Microsoft Store” na caixa de pesquisa na barra de tarefas.

Para qualquer software que não esteja disponível na Microsoft Store, é recomendável acessar o site oficial da empresa e baixar a versão do software para Windows 10 de lá. Em situações limitadas, é possível que algum software mais antigo não tenha uma versão atualizada que seja compatível com o Windows 10, neste cenário você deve procurar o desenvolvedor da solução e verificar as alternativas ou soluções fornecidas para compatibilidade do sistema.

Como o fim do suporte ao Windows 7 afetará meus aplicativos do Microsoft Office?

Sua experiência pode ser diferente dependendo da versão do Office que você está usando. Para saber mais, consulte Fim do suporte ao Windows 7 e o Office. É importante observar que o Windows 7 em si não recebe mais atualizações de segurança, deixando seu dispositivo vulnerável a ameaças de segurança. Dessa forma, se você estiver usando o Microsoft Office em um computador Windows 7, recomendamos mudar para um computador Windows 10 e assim evitar alguns tipos específicos de ameaças.

Por que recebi uma notificação sobre o Windows 7?

O suporte ao Windows 7 terminou em 14 de janeiro de 2020. Você está recebendo notificações como cliente do Windows 7 para lembrá-lo de que seu dispositivo não tem mais suporte e não receberá mais atualizações de segurança.  Recomendamos mudar para um novo computador com o Windows 10.  Mais informações sobre a notificação estão disponíveis abaixo:

Você recebeu a notificação “Seu PC com Windows 7 está sem suporte”

Aplica-se a: Windows 7 Home BasicWindows 7 Home PremiumWindows 7 ProfessionalWindows 7 UltimateWindows 8

Resumo


Quando o PC está executando uma versão do Windows que chegou ao fim do suporte, é importante que você tome medidas porque, sem correções de segurança contínuas, o PC ficará vulnerável a vírus e malware.  Caso você tenha o Windows 8 (não atualizado para o Windows 8.1), o Windows 7 Service Pack 1 (SP1) ou o Windows 7 (não atualizado com SP1), uma das seguintes notificações em tela inteira poderá ser exibida no computador (dependendo do sistema que você estiver usando):

Windows 7 Service Pack 1 (SP1)

Seu PC com Windows 7 está sem suporte

Seu PC do Windows 7 está fora de suporte.  A partir de 14 de janeiro de 2020, o suporte para o Windows 7 chegou ao fim.  Seu PC é mais vulnerável a vírus e malware, devido a não mais atualizações de segurança, atualizações de software ou suporte técnico.  A Microsoft recomenda fortemente o uso do Windows 10 em um novo PC para os mais recentes recursos de segurança e proteção contra software malicioso.

A notificação permanecerá na tela até que você interaja com uma das opções disponíveis.  Embora essas notificações tenham sido projetadas para fornecer informações importantes, você pode selecionar “Lembrar mais tarde” para descartar o lembrete por três dias.  Caso prefira não receber mais lembretes, você poderá selecionar a opção “Não lembrar novamente” para deixar de recebê-los.

Windows 7 (não atualizado com SP1)

Desculpe interromper, mas isto é importante.

Seu computador está executando uma versão desatualizada do Windows 7.

Seu computador está executando uma versão desatualizada do Windows 7.

Windows 8 (não atualizado para o Windows 8.1)

Desculpe interromper, mas isto é importante.

Seu computador está executando uma versão desatualizada do Windows 8.

Seu computador está executando uma versão desatualizada do Windows 8

Essas versões do Windows atingiram o fim do período de suporte e não recebem mais atualizações de segurança da Microsoft. Para manter o Windows tão seguro quanto possível, recomendamos que você mude para o Windows 10. 

Como fazer uma limpeza no Chrome para liberar espaço no celular

Como fazer uma limpeza no Chrome para liberar espaço no celular

Recurso do Chrome para Android permite a você fazer uma limpeza manual em arquivos de sites para liberar espaço no celular. Saiba como usá-lo!

Reportagem original: https://olhardigital.com.br/dicas_e_tutoriais/noticia/como-fazer-uma-limpeza-no-chrome-para-liberar-espaco-no-celular/93753

O Google Chrome já vem instalado por padrão nos celulares com o sistema Android e é a opção de muitas pessoas para acessar a internet. Assim como outros browsers, ao navegar na internet, o Chrome acaba salvando alguns arquivos no dispositivo para facilitar o acesso a sites e outras tarefas ou ações relacionadas a eles.

Por sua vez, é claro, esses arquivos passam a ocupar um espaço considerável no dispositivo após certo tempo e nem sempre é fácil localizá-los para fazer uma limpeza. A seguir, veja como fazer uma limpeza manual dos arquivos de sites no Chrome do Android para liberar espaço no celular.

Importante

É importante ressaltar que o procedimento demonstrado abaixo não oferece riscos, mas você pode perder alguns dados de navegação como um login ou uma preferência salva para determinado site. A função utilizada no processo abaixo não está presente na versão do navegador para iOS (sistema do iPhone).

Como fazer a limpeza dos arquivos de sites no Google Chrome do Android

A limpeza manual do cache do Chrome é feita de forma bem simples, sendo realizada dentro do próprio aplicativo, mas a função fica um pouco escondida. Confira:

1. Abra o Google Chrome normalmente e toque no ícone representado por “três pontos”

Reprodução

Entre em “Configurações”, deslize a tela para baixo e, então, clique em “Configurações do site”;

Reprodução

Mais uma vez, deslize a tela para baixo e, agora, entre em “Armazenamento”

Reprodução

Toque em “Limpar armazenamento de site” e, na mensagem que surge, clique em “Limpar”

Reprodução

Se preferir remover os dados de apenas um site, toque nele na lista, selecione a opção “Limpar e redefinir”

Reprodução

Em nosso teste, ao fazer uma limpeza desses sites foi possível liberar 1GB de espaço em nosso aparelho, mas esse tamanho pode variar de acordo com o tempo que você usa o navegador. Após realizar o procedimento, você não deverá notar nenhuma mudança no Chrome, apenas o espaço disponível no aparelho estará maior.

Pronto! Agora, você já sabe como eliminar alguns dados de navegação de sites do Chrome de forma manual para liberar espaço no seu celular com o Android.

Como habilitar a nova função do Chrome para poupar memória RAM

Como habilitar a nova função do Chrome para poupar memória RAM

Reportagem original: https://olhardigital.com.br/dicas_e_tutoriais/noticia/como-habilitar-a-nova-funcao-do-chrome-para-poupar-memoria-ram/91535

Nova função para ‘congelar abas’ do Google Chrome pode fazer o navegador consumir menos memória RAM. Saiba como habilitá-la!

O Google Chrome é um dos navegadores mais utilizados no mundo, possuindo versões para computadores e Celular Smart. Apesar de sua popularidade, algo que desagrada seus usuários é o alto consumo de memória RAM, que acaba deixando os computadores lentos ou com travamentos, principalmente computadores mais antigos.

Para mudar a situação, o Google está implementando no navegador um novo recurso, que ajuda a poupar o consumo de memória RAM ao congelar abas, mas ele não vem habilitado por padrão. A seguir, veja como habilitar o novo recurso do Chrome para ele consumir menos memória RAM.

Importante

Esta nova função do Google Chrome, por enquanto, só está disponível na versão Canary do navegador, que é destinada para testes e desenvolvedores. Assim, por estar constantemente em desenvolvimento, esta versão do browser pode apresentar instabilidades.

A instalação do Google Chrome Canary não interfere no uso do navegador em sua versão normal, ou seja, você pode utilizar os dois browsers separadamente.

Como habilitar a função do Chrome para diminuir o consumo de memória RAM

Para diminuir o consumo de memória RAM, este recurso faz com que as abas que não estejam em uso sejam congeladas, ou seja, apenas o site que você está visualizando continua sendo atualizado ou recarregado em tempo real, enquanto as outras abas só farão este processo quando voltarem a serem abertas. Confira como habilitar o congelamento de abas do Chrome:

Acesse o site oficial do Google Chrome Canary e realize o seu download. Caso já tenha ele instalado, basta atualizá-lo para a sua última versão;

Reprodução

Acesse o seguinte endereço: chrome:\\flags

Reprodução

Procure por “Tab freeze” na parte de buscas da página aberta

Reprodução

Mude o seu valor padrão para “Enabled”

Reprodução

Na mensagem que aparece, clique em “Relaunch”

Reprodução

A partir deste momento, toda vez que uma aba não for aberta por 5 minutos, ela será congelada e não terá atualizações, o que diminui o consumo de memória RAM. Caso você não goste do resultado do novo recurso, basta seguir novamente o passo a passo descrito acima deixando o valor de “Tab freeze” em “Disabled”.

Reprodução

Pronto! Agora, você já sabe como habilitar o novo recurso do Chrome para evitar o seu alto consumo de memória RAM ao deixar muitas abas abertas.

Para que servia o botão turbo nos computadores antigos?

A tecnologia é algo que evolui a passos assustadoramente rápidos. Isso é muito bom, claro, pois nós podemos desfrutar dessas evoluções nas mais diferentes esferas, como os smartphones, games, gadgets, automóveis e, claro, os computadores, o centro de tudo quando falamos de tecnologia.

Tamanho dinamismo e renovação acabam por deixar algumas coisas ou funções que passam desapercebidas. Seja em um telefone fixo, seja em uma CPU, sempre tinha um botãozinho que nós não fazíamos a menor ideia do que poderia fazer por nós. E o pior, tamanho era o receio, que nem ousávamos apertar tais botões. Um desses nossos amiguinhos que metiam medo era o botão “turbo”, muito comum nos computadores dos anos 90.

Para os mais desentendidos ou esquecidos, logo deve vir à cabeça: “caramba, um botão que aumentava a velocidade e a capacidade do PC? Como não fazem isso hoje?” A resposta é simples: não fazem isso porque a função deste botão era justamente a oposta. Surpreso? Não tem problema, a gente explica.

Um turbo que desacelera

As máquinas mais antigas tinham um clock bem diferente das de hoje. Nos tempos atuais, os programas se adaptam melhor às evoluções apresentadas pelos processadores, não sendo necessário que nenhum tipo de artifício externo seja usado para dar uma “acalmada” na máquina.

Então, basicamente, o botão turbo fazia com que a velocidade do seu computador fosse reduzida para que alguns programas e jogos pudessem funcionar em seu ritmo normal. “O botão ‘turbo’ das CPUs antigas passava uma percepção de maior valor para o consumidor e eram colocados para ajustar o clock do processador de acordo com a necessidade dos aplicativos”, explica Elton John Bonfim, especialista de Produtos da Positivo, em entrevista ao Canaltech.

“Os primeiros programadores de computadores usavam o clock do processador para medir o tempo de execução de cada programa e isso foi o padrão por muito tempo. Para se ter uma ideia, os processadores Intel daquela época trabalhavam próximo dos 4MHz, ou seja, tudo era feito pensando nesta velocidade, neste padrão de tempo de reação”, explica Iuri Santos, gerente de tecnologia da Kingston e da HyperX no Brasil, em entrevista à nossa reportagem. A máquina com 4Mhz em questão era equipada com o processador Intel 486, que foi, basicamente, a primeira CPU com botão turbo.

Com o tempo, os processadores foram aumentando de velocidade, indo para 8, 12, 20, 25 MHz, mas os programas e jogos não acompanhavam essa evolução e desenvolvimento do hardware. E é aí que o botão turbo entrava. “A chave do turbo era física mesmo, acoplada à placa mãe. Ao apertá-la, você interrompia a frequência de operação dos processadores para que eles ficassem na velocidade do programa ou do game em questão, que era na faixa dos 4MHz”, explica Santos.

Pentium MMX: ao apertar o turbo, as máquinas ficavam mais lentas. Acredite se quiser

Pode parecer controverso, mas, com o botão turbo apertado, o PC ficava mais anestesiado e “enganava”, por assim dizer, os aplicativos que precisavam de muito menos poder para rodar com perfeição nos PCs mais avançados. As últimas máquinas que vieram com esse botão foram os saudosos Pentium MMX, lançados em 1996, e que chegavam a ter velocidades de mais de 200 MHz.

Como ele saiu?

Aos poucos, o mercado foi percebendo que era complicado demais ter programas que rodavam em processadores específicos. Isso sem falar que nem todas as máquinas daquele tempo tinham o botão turbo.

Por isso, logo as empresas começaram a fazer processadores que tinham essa desaceleração de maneira nativa, sem a necessidade de um botão físico ligado à placa-mãe. Com isso, os PCs ficaram mais populares e fáceis de serem programados, pois essa simulação para diminuir o poder da máquina era feita por meio de software. “Hoje os computadores não possuem mais isso ligado à placa-mãe porque se trata de algo a parte. Ou seja, não está preso na velocidade de processamento do chipset”, complementa Santos.

“Hoje, o próprio processador gerencia a carga de trabalho e aumenta a frequência conforme a necessidade de processamento. É o chamado ‘Turbo Boost’ que alguns processadores possuem”, explica Bonfim.

Se o botão turbo existisse hoje, com certeza ele não funcionaria da mesma maneira que tempos atrás. A razão é muito simples: os processadores ficaram tão rápidos, que seria quase impossível abaixar o clock de 2GHz, por exemplo, para os longínquos 4MHz.

Os programas e jogos atuais já são feitos pensando justamente no poderio das máquinas que temos no mercado, e isso vale também para dispositivos mobile. As placas de vídeo e boosters que também existem no segmento, ao contrário do nosso botão turbo antigo, servem, aí sim, para acelerarem todo o processo e darem aquele empurrãozinho quando queremos jogar alguma coisa mais pesada ou fazer aquela edição de imagem ou vídeo que exige muito da CPU.

E aí, amigo leitor? Vocês ainda têm por aí uma CPU com este botão turbo? Se tiverem, mandem uma foto para gente! Caso tenham alguma história do uso deste botão, deixem nos comentários também!

Procon aplica multa milionária à Apple e Google por FaceApp

Procon aplica multa milionária à Apple e Google por FaceApp

Google terá que pagar quase R$ 10 milhões, e Apple, R$ 7,7 milhões, por aplicativo que envelhece o rosto de usuários

Procon-SP multou as empresas Apple e Google por desrespeito às regras previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC) enquanto papel de fornecedoras autorizadas em suas respectivas plataformas, do aplicativo FaceApp, que possuía filtros para envelhecer o rosto dos usuários e se tornou febre no Brasil recentemente. 

As multas para as gigantes são milionárias. Google deverá pagar, segundo a Fundação, R$ 9.964.615,77 (valor máximo estipulado), e a Apple, R$ 7.744.320,00. Ambas poderão recorrer da decisão. 

Em comunicado oficial enviado ao Olhar Digital, o Google informa que: Seguindo a filosofia do sistema operacional Android, a Google Play é uma loja virtual aberta na qual o próprio Google e terceiros podem disponibilizar aplicativos e jogos, que podem ser baixados por usuários para serem utilizados em seus celulares. O Marco Civil da Internet e o próprio Código de Defesa do Consumidor dispõem que as lojas virtuais não devem ser responsabilizadas pelas práticas e políticas de aplicativos de terceiros, por isso, tomaremos as medidas necessárias para questionar a multa imposta pelo Procon“.

A Apple Computer Brasil Ltda. informou que não vão comentar sobre o assunto. 

As penalidades aplicadas se referem ao ferimento da “Política de Privacidade” e “Termos de Uso“. De acordo com o órgão de defesa do consumidor, as empresas que possuem responsabilidade sobre dados essenciais dos produtos e serviços que ofertam, não disponibilizaram informações em português. Recentemente, o assunto esteve em pauta no  Olhar Digital News, que trouxe o advogado e consultor da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) Leandro Alvarenga para falar sobre assunto

Segundo o diretor da Fundação Procon-SP, os valores das multas são distintas por serem estipuladas de acordo com o faturamento de cada empresa. O aplicativo russo FaceApp não foi penalizado por não possuir representação jurídica no Brasil. 

Proteção de Dados

No mês passado, as gigantes da tecnologia e o próprio aplicativo russo já tinham sido notificados pelo Procon-SP. O mesmo app de filtros, aliás, já estava sendo investigado na Europa por questões ligadas à privacidade e coleta de dados (GDPR), segundo Alvarenga.

No Brasil, as questões desrespeitadas segundo o Procon-SP, que ainda não serão submetidas às regras da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), prevista para vigorar em agosto de 2020, acabam sendo julgadas com base em leis mais genéricas, como o Código de Defesa do Consumidor, o Código Civil ou o Marco Civil da Internet, de acordo com o especialista em Direito Digital Renato Blum.

Recurso

Google e Apple poderão recorrer em duas instâncias administrativas sobre as multas aplicadas, segundo o órgão. Além do direito de defesa, elas poderão recorrer judicialmente dessas multas ou mesmo quitá-las, com direito a 30% de desconto, caso o pagamento se dê à vista.

Reportagem original: https://olhardigital.com.br/noticia/procon-aplica-multa-milionaria-a-apple-e-google-por-faceapp/89772

Engenheiro da Netflix descobre falhas de segurança no Linux

Engenheiro da Netflix descobre falhas de segurança no Linux

SACK Panic foi uma das vulnerabilidades encontradas por Jonathan Looney

Vários servidores, sistemas Linux e FreeBSD possuem uma vulnerabilidade de negação de serviço chamada SACK Panic. A descoberta foi feita por Jonathan Looney, engenheiro da Netflix Information Security. 

Além desta, outras brechas foram identificadas por Looney. Segundo o especialista,  uma série de pacotes maliciosos enviados para o sistema vulnerável é suficiente para travá-lo ou atrasá-lo — originando uma pane no kernel, que é disparada remotamente. Para proteger o sistema, patches de soluções foram liberados.

As três falhas estão relacionadas entre si e dizem respeito à maneira como o kernel do Linux lida com a rede TCP — um conjunto de protocolos de comunicação entre computadores em rede. O SACK Panic foi descrito pela Red Hat, empresa que disponibiliza soluções baseadas no no GNU/Linux, como o “mais grave” do trio. A empresa alertou que essa vulnerabilidade específica “pode permitir que um ataque remoto cause uma pane no kernel, em sistemas que executam o software afetado e, como resultado, afetem a disponibilidade do sistema”.

O SACK Panic foi atribuído ao  código CVE-2019-11477  e sua gravidade é classificada como “Importante”, enquanto as falhas relacionadas, de nomenclaturas CVE-2019-11478  e  CVE-2019-11479, ganharam a etiqueta de  “Moderadas”.

A vulnerabilidade mais séria afeta o Red Hat, o Debian, o Ubuntu, o Amazon Web Services e o SUSE, com kernels Linux 2.6.29 ou posteriores.

Patches estão disponíveis para os sistemas afetados e uma solução alternativa também foi sugerida. Definindo linha de comando “/ proc / sys / net / ipv4 / tcp_sack” como 0, o processamento de SACK é desativado.

Mais detalhes estão disponíveis no comunicado de segurança publicado no GitHub. Red Hat, Amazon Web Services, SUSE e Debian também compartilharam recursos e informações úteis para a correção do problema em dose tripla.

saiba mais sobre estas falhas nos links relacionados ao fabricante:

https://access.redhat.com/security/cve/cve-2019-11477

https://access.redhat.com/security/cve/cve-2019-11478

https://access.redhat.com/security/cve/cve-2019-11479

https://github.com/Netflix/security-bulletins/blob/master/advisories/third-party/2019-001.md

https://aws.amazon.com/pt/security/security-bulletins/AWS-2019-005/

https://security-tracker.debian.org/tracker/CVE-2019-11477

As 4 melhores distribuições Linux para você reparar problemas do seu PC com Windows

Conheça quais são as melhores distribuições Linux para você corrigir os erros e recuperar arquivos de um PC com problemas

A maioria das pessoas utiliza em seu computador o Windows para realizar diversas tarefas do dia a dia, tanto para trabalho quanto para lazer. Apesar do sistema operacional da Microsoft ter passado por diversas melhorias, nunca se sabe quando você terá um problema causado por ele ou por conta de seu hardware.

Se por algum motivo você acabou preso fora do sistema, uma boa alternativa para tentar arrumá-lo ou ao menos para recuperar os seus arquivos consiste em utilizar uma distribuição Linux, que pode ser executada a partir de um pendrive. A seguir, confira esta lista elaborada pela Compuword com quatro distribuições Linux para arrumar o seu PC.

Rescatux

Uma distribuição bem popular para o reparo de computadores fica por conta do Rescatux. Através dela, você consegue resolver diversos problemas relacionados ao boot do sistema, como algum parâmetro que não deixe o Windows ou outra distribuição Linux ser iniciada.

Reprodução

O Rescatux é um cd de resgate do GNU / Linux (e eventualmente também o Windows), mas não é como outros discos de resgate. O Rescatux vem com o Rescapp. Rescapp é um bom assistente que irá guiá-lo através de suas tarefas de resgate .

Clonezilla Live

A segunda opção desta lista é uma distribuição para quem quer estar prevenido de erros. Sendo uma distribuição que roda do pendrive, com ela você pode criar uma cópia perfeita de seu HD, que poderá ser utilizada para restaurá-lo quando acontecer um problema.

Reprodução

O seu único ponto negativo fica por conta de sua interface, que como pode ser visto nas imagens acima, é utilizada via comandos de texto.

SystemRescueCD

A distribuição mais popular para reparar computadores fica por conta do SystemRescueCD e não é à toa. Essa distro acaba trazendo ferramentas úteis para reparticionar HDs e até para recuperar arquivos de drives danificados.

Reprodução

Além deles, dentro de seu pacote estão incluídos alguns programas úteis como um navegador, que é claro, pode ser utilizado para fazer a busca pelo erro que está impedindo você de utilizar o seu computador.

Trinity Rescue Kit

A última opção desta lista, assim como o SystemRescueCD, também traz uma seleção generosa de ferramentas para reparar máquina que estejam com problemas no Windows. Através dela, é possível realizar o reset de senhas e até mesmo rodar antivírus para remover ameaças que entraram em seu sistema.

Reprodução

Apesar de contar com tantas ferramentas, assim como outras ferramentas exibidas aqui, o seu contra é a sua utilização, já que a sua interface é toda feita em texto.


1 2