Entenda por que reiniciar o celular de vez em quando faz bem ao aparelho

Cada vez mais os celulares fazem tarefas que, antes, exigiam mais de um equipamento para serem realizadas. Com eles nós tiramos fotos, filmamos, jogamos, organizamos nossas agendas e fazemos até ligações! (ironia e risos). E por usarmos eles para tantas coisas, é muito comum que a gente esqueça de desligar e reiniciar os aparelhos durante a semana.

Religar o smartphone de vez em quando pode trazer uma série de benefícios ao aparelho, independente da sua marca. Todos os smartphones, por exemplo, têm uma quantidade de memória ram. A memória ram serve para guardar informações temporárias dos aplicativos que usamos no celular. Isso ajuda a executar os programas de forma mais rápida, porque o celular não precisa carregar tudo do zero sempre que você entrar e sair de um mesmo programa. Imagiana ter que carregar o whatsapp inteiro toda vez que você entrar e sair dele? Iria demorar muito não é? Então a memória ram ajuda a abrir um mesmo aplicativo de forma mais rápida. Só que quando ela está quase cheia, a velocidade para usar outros apps fica mais lenta. Por isso é bom desligar e ligar o celular. Pois quando o aparelho é reiniciado, o sistema limpa a memória ram e tudo volta ao seu estado inicial.

Outra situação que acontece no smartphone quando ele fica muito tempo sem ser desligado é o acúmulo de processos de erro. Nossos celulares funcionam como pequenos computadores que processam vários programas ao mesmo tempo. Com isso, podem acontecer alguns erros de processamento, e sempre que acontece um erro, um arquivo sobre esse erro é gerado e fica armazenado no seu celular. Esses arquivos vão acumulando e são deletados quando você desliga e liga o celular. Então, quanto mais tempo você fica sem reiniciar seu smartphone, mais processos acumulam, o que pode prejudicar o desempenho do aparelho e até mesmo o funcionamento de um aplicativo. Muitas vezes, qundo um programa não está funcionando, reiniciar o celular pode ser a solução para o problema, pois o smartphone encerra todos os processos e limpa os arquivos que estavam acumulando.

Reiniciar o smartphone também pode ajudar a preservar o bom funcionamento da bateria. Não são raros aplicativos que continuam funcionando em segundo plano. Isso significa que existem programas que permanecem ativos mesmo quando não estão abertos na tela do aparelho. Por estarem ativos, esses aplicativos aumentam o consumo de bateria, mas quando o celular é reiniciado, esses programas são encerrados, o que ajuda a melhorar o desempenho da bateria. Além disso, é importante que o celular não seja colocado para carregar na tomada a todo momento. Isso porque, quando a bateria do celular é carregada sem estar com a carga baixa, o sistema do aparelho é incapaz de aprender quando a bateria está chegando ao seu limite de verdade. E reiniciar o aparelho também ajuda a zerar essas contagens do sistema.

Não existe um número mínimo ou um padrão exato a ser seguido em relação ao número de vezes que se deve reiniciar o smartphone. Mas, desligar e ligar o aparelho uma vez ao dia, com certeza, não causa mal algum ao celular. Ao contrário, fazer isso já ajuda a fazer com que o sistema do aparelho tenha um melhor desempenho e menos travamentos.

Agora, quem prefere deixar o celular ligado por mais tempo, durante uma semana toda, por exemplo, deve ficar atento ao desempenho do celular. Caso comece a enfrentar algum problema de lentidão, pode ser uma boa ideia começar a reiniciar o smartphone com mais frequência.


Pesquisadores provam vulnerabilidade em sistema 4G de alerta emergencial dos EUA

Uma nova vulnerabilidade em redes 4G permite que hackers criem um alerta falso e simulem uma emergência nacional. A denúncia veio da University of Colorado Boulder em testes realizados na última semana.

O grupo emitiu um alerta para um estádio lotado em que uma notificação aparece nos aparelhos dos 50 mil espectadores do local. No caso, há indicação apenas de: “Alerta presidencial. ESTE Ë UM TESTE do sistema nacional de alerta sem fio. Não faça nada”.

Segundo o documento, o grupo usou equipamento vendido no mercado e software de código aberto para conseguir mandar os avisos. De dez tentativas, nove foram bem-sucedidas.

No ano passado, o governo dos Estados Unidos criou o Alerta de Emergência Sem Fio (WEA, na sigla em inglês). A proposta é permitir que o presidente possa emitir um comunicado nacional em caso de uma catástrofe ou qualquer emergência nacional.

Atualmente, o sistema tem sido usado para emissão de alertas sobre clima e crianças desaparecidas. Contudo, ele conta com problemas. No ano passado, o governo chegou a mandar um recado errado a habitantes do Havaí informando que havia ameaça de mísseis da Coréia do Norte. A mensagem foi apenas um erro, já que o texto estava preparado para envio, mas não havia nenhuma ameaça efetiva.

O que os pesquisadores descobriram agora é que o sistema pode ser hackeado de uma forma simples, apenas identificando a torre que envia os sinais de telefone em rede 4G para os usuários. Sabendo o canal, é possível usar a plataforma para lançar um comunicado sem nem mesmo que as pessoas possam comprovar a veracidade do alerta.

Para os pesquisadores, há um “potencial alto de pânico” caso este sistema seja usado de forma errada. Para o grupo, a vulnerabilidade também não é simples de resolver. Uma vez que há identificação do canal, é possível mascarar qualquer tipo de mensagem. Assim, a solução “requer um esforço conjunto entre marcas, governo e fabricantes de smartphones” para solucionar o problema.

Junto disso, os pesquisadores da University of Colorado Boulder também informaram que uma assinatura digital poderia ajudar a melhorar a confiança das mensagens, mas não seria uma solução completa, já que nem todo usuário sabe verificar isso.