Operação policial derruba 50% do tráfego de IPTV pirata

Operação policial derruba 50% do tráfego de IPTV pirata

Sistema de gerenciamento usado por mais de 5.000 provedores atingia 50 milhões de usuários e teve impacto imediato no mercado

Recentemente, o site do Olhar Digital falou sobre como o IPTV pirata havia ganhado popularidade nos últimos anos e como as autoridades começavam a ficar mais atentas a esta prática. O resultado disso já está sendo visto: uma operação policial na Europa derrubou um sistema gigantesco de gerenciamento de IPTV chamado Xtream-Codes, deixando muitos usuários desse tipo de serviço no escuro.

A operação foi chamada de Black IPTV mirou vários alvos. Primeiramente, as autoridades foram atrás dos indivíduos por trás de um provedor de IPTV na Itália. No entanto, a ação também acabou por derrubar o Xtream-Codes, sistema que é base para vários serviços de IPTV. Estima-se que ele fosse usado por 5.000 provedores atingindo 50 milhões de usuários finais, então o seu encerramento teve um impacto imediato.

De fato, a Sandvine, empresa que produz equipamento de rede e que costuma monitorar esse tipo de tráfego, notou uma queda brutal no volume de dados que circula na internet relacionado a serviços de IPTV piratas. Em contato com o site TorrentFreak, a companhia confirmou que percebeu uma queda de 50% no tráfego de IPTV ilícito.

A operação atingiu as plataformas de IPTV no dia 18 de setembro, uma quarta-feira, mas seus efeitos só foram sentidos ao longo dos dois dias seguintes por questões técnicas. Foi neste momento, de quinta para sexta-feira, em que a Sandvine percebeu a queda drástica de 50%.

No entanto, a pirataria é comparada a uma hidra por bons motivos: corte uma cabeça e outras surgem. Os provedores logo começaram a migrar para outros sistemas de gerenciamento além do Xtream-Codes, e os serviços logo começaram a ser restabelecidos.

A Sandvine listou cinco serviços que foram completamente derrubados com a operação policial entre os dias 19 e 21 de setembro. Segundo a empresa, quase todos já estavam se recuperando no dia 21, com apenas um deles ainda inativo. Contudo, é importante notar que o mercado de IPTV pirata é consideravelmente maior do que esses cinco serviços e é difícil estimar com precisão o total de plataformas similares afetadas e quantas delas conseguiram se recuperar.